Ele, 40 anos, executivo, senta-se na poltrona do avião com destino a New York e maravilha-se com uma deusa sentada junto à janela. Após 15 minutos de vôo, ele não se contém:

- É a 1ª vez que vai a New York?
- Não, é uma viagem habitual.
- Trabalha com moda?
- Não, viajo em função de minhas pesquisas. Sou sexóloga.
- Suas pesquisas dedicam-se a quê?
- No momento, pesquiso as características do membro masculino.
- A que conclusão chegou?
- Que os Índios são os portadores de membros com as dimensões mais avantajadas e os Árabes são os que permanecem mais tempo no coito. Logo, são eles que proporcionam mais prazer às suas parceiras. Desculpe-me, senhor... eu estou aqui falando, mas não sei o seu nome...
- MUITO PRAZER, Mohammed Pataxó!




POR JOELSON DE SOUTO
Dando continuidade aos momentos poéticos e as parcerias com nossos amigos de outros blogs, vai aí outra boa história.


foto da internet
O CASAMENTO DOS DOIDO

Meu primo doido contou que tem um doido casado com uma prima dele, doida, fia de um véio adoidado E os dois numa maluquice inventaro uma doidice mais antes de endoidecer o doido foi se adoidando e a doida tá esperando um doido novo nascer.

A famia toda é doida, Doida avó, doido o avô. Um doido, dixe outro doido que outro doido contou, que um doido morreu de doido que outro doido matou.

Eu mermo sou meio doido, tão doido que me confundo Lá in casa tudo é doido, doido Zé, doido Raimundo. Doido branco, doido preto, doido limpo, doido imundo, Dois doido tomando banho um no raso, outro no fundo, quem não for doido bem doido endoidece num segundo, não conheço doido certo nem mermo doido profundo, tem doido que é tão doido que de doido, é vagabundo. Doido de hoje e de ontem num tem mais doido que conte os doido que tem no mundo.

Esse doido que casou com essa doida, também diz que é doido por a doida, que a doida é quem lhe qué bem, doido ele, doida ela, doido vai e doido vem, que é doido e não tem juízo que a doida também num tem, que a doidice é dele e dela e ele num troca ela pela doida de ninguém.

Quando a doida beija o doido, o doido acende o estrovo a doida convida o doido pra sair do meio do povo, o doido sente um cansaço, a doida manera o passo, passa a mão no espinhaço toda noite, é um abraço todo ano, um doido novo.

Fonte: http://www.ciafilhosdosolrn.blogspot.com/


(Pedro Bandeira) Poeta e Repentista.
Poema extraído do blog: http://www.alexandreteatro.blogspot.com/

postado por Jardeu Amorim
Por Marcelo Militão - Grupo TIA de Teatro da cidade de Canoas - RS


Palhaço Stripulia  (Marcelo Militão) do Grupo TIA
...Se dá pela liberdade, pelo posicionamento e enfrentamento que propõe. A rua não tem dono, o que define o ator da rua é a relação com o público, nada mais. O chapéu é sua remuneração, a mais sincera e singela, a rua é o palco mais legítimo, o ator na rua está na corda bamba, se não domina os elementos... não dá para correr para a coxia. O ator da rua transforma e convenciona tudo, inclusive seu palco. A rua pode ser tudo, é um lugar de trânsito de energia e acontecimentos muito fortes. As manifestações culturais mais fortes são na rua, As rodas de capoeira mais tradicionais são na rua, o carnaval de rua, o hip hop, o rap, o grafite, as comemorações religiosas... Quando o povo quer protestar vai para a rua. Por isso ficamos “de cara” quando espetáculos que tem toda independência e autonomia precisam pedir uma autorização para apresentar-se na rua.Que é nossa, é de todos. Essa relação é da rua, com o artista, com o povo e não de um terceiro, da burocratização.

Existem locais ainda, onde não é tão simples apresentar, devido ao grau de hostilidade presente na comunidade,devido ao “escanteamento” social que sofrem e de uma relação mais ausente ou inexistente que o teatro representa para essas pessoas. Então, tem toda uma relação a ser construída, estabelecida entre público e artista, e a rua como via. Não é uma autorização, um papel, que te dá essa segurança, essa comunicação.

Outro dia, no meio de uma apresentação, em um parque próximo do centro da cidade, duas gangues resolveram disputar espaço no mesmo local, data e hora do nosso espetáculo, eles chegaram depois do teatro já ter iniciado, ou seja, a rua cobra suas necessidades.
 *Marcelo Militão TIA

Texto retirado do blog: grupotiateatro.blogspot.com

Postado por Jardeu Amorim
Na noite desta quarta- feira na casa de cultura popular a Cia. Arte e Riso se reuniu para dar início aos trabalhos em 2011. Na ocasião foram feitos alguns repasses e discutido reformulações no espetáculo “O Maníaco do Prato” que agora passará por um processo de rodízio entre os componentes, e ainda marcado o calendário de encontros para ensaios. Também foram propostas algumas idéias no intuito de arrecadar recursos para o XXX Escambo que acontecerá em Abril na cidade de Janduís/RN. Já os outros dois espetáculos “Amor Rima com Riso” e “Quem Aposta Come Brocha” que a Cia. pretende trabalhar esse ano ficou para ser trabalhado na próxima semana quando alguns componentes que fazem parte dos mesmos retornarem a cidade para dar início a suas montagens.
Postado por Jardeu Amorim

MOMENTO POESIA

Vamos curtir mais uma bela poesia que retrata bem o nosso interior, só que sem a seca e sem a fome, e sim, com muita arte e resistência que é a marca de todos nós nordestinos.

Essa foto é nossa visão do sertão: 


Meus versos inda são do tempo
Que as coisas eram de graça:
Pano medido por vara,
Terra medida por braça,
E um cabelo da barba
Era uma letra na praça.

Já tive muito prazer,
Hoje só tenho agonia!
Não sinto porque sou cego,
Eu sinto é falta do guia!
Quando mamãe era viva,
Eu era um cego que via!

Uma morrinha no gado
É derrota em fazendeiro,
E um cavalo ruim
Derrota dum vaqueiro!
A derrota do país
É dever no estrangeiro!

Fui moço, hoje estou velho!
Pois o tempo tudo muda!
Já fui um dos cantadores
Chamado Deus nos acuda ...
Este que estão vendo aqui
Foi Zé Duda do Zumbi!
Hoje Zumbi do Zé Duda!

Fonte: jataovaqueiro.blogspot.com

Postado por Jardeu Amorim
foto da internet

Depois de alguns anos sem fazer apresentações na festa do padroeiro de São José em umarizal, a Cia. Arte e Riso está confirmada para as festividades desse ano, que acontecerá entre os dias 12 e 19 de março. O dia da apresentação será no dia 14 (segunda-feira) após a celebração, noite da pastoral da criança.
Convidamos toda a população para participar da Festa de São José 2011.

Estaremos lá.

Postado por Jardeu Amorim

Por Silvio Guedes Crespo

Foto da internet

O novo Ministério da Cultura vê a cultura como “um bem de consumo passivo”, na opinião de Ronaldo Lemos (foto), colaborador do Radar Econômico do blogs.estadao.com.br


Para entender a mudança de rumo na política cultural, Lemos indica a leitura do trabalho de uma pessoa que de certa forma também está no governo – a gerente de patrocínios da Petrobrás, Eliane Costa. A empresa, não custa lembrar, é a maior patrocinadora do País na área cultural.

Com a palavra, Ronaldo Lemos:

“Estava revendo hoje o trabalho da Eliane Costa sobre a gestão do Ministro Gilberto Gil à frente do Ministério da Cultura. O trabalho foi disponibilizado recentemente na íntegrada na internet e se chama “Com quantos gigabytes se faz uma jangada, um barco que veleje: o Ministério da Cultura na gestão Gilberto Gil, diante do cenário das redes e tecnologias digitais“.

“É uma pesquisa ampla a respeito das políticas do Ministério da Cultura nos últimos 8 anos, que tem como foco principal a relação entre políticas culturais e a tecnologia. Outro aspecto interessante é que ajuda a colocar em perspectiva as mudanças de rumo que vêm sendo implementadas pela Ministra Ana de Hollanda desde que assumiu o Ministério.

“O trabalho mostra como Gil privilegiava a tecnologia como canal importante para o acesso, produção e disseminação da produção cultural, inclusive em áreas periféricas ou negligenciadas, abrançando ferramentas como o software livre ou as licenças Creative Commons. Sobre isso, a atual gestão do MinC aponta no sentido oposto, de enxergar a cultura como um bem de consumo passivo, privilegiando sobretudo o papel de entidades como o Ecad (entidade que arrecada e distribui dinheiro referente a direitos autorais).

“Dentre os pontos interessantes do trabalho, está a lembrança ao discurso proferido por Gil na NYU ainda em 2005, em que ele se afirmava como Ministro inspirado pela ética hacker, disposto a olhar de frente para os desafios trazidos pela tecnologia à produção cultural e sem medo de experimentação (o discurso está disponível na íntegra aqui e é uma boa leitura para os tempos atuais).

“Como disse, o trabalho da Eliane Costa ajuda não apenas a compreender os últimos 8 anos de políticas culturais no Brasil mas, especialmente, a colocar em perspectiva as ações da nova Ministra Ana de Hollanda no que diz respeito a decisões recentes, como a retirada das licenças Creative Commons do site do Ministério, a paralização da reforma dos direitos autorais, bem como sua aproximação do advogado do Ecad Hildebrando Pontes, que defende que o direito autoral deva ter duração eterna”.

“Em síntese, é um trabalho abrangente e que foi gentilmente colocado pela autora na íntegra para acesso online.”

Ronaldo Lemos é diretor do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getulio Vargas. Atualmente é “visiting fellow” na Universide de Princeton, no Center for Information Technology Policy. É autor do livro “Direito, Tecnologia e Cultura”.

Fonte: http://blogs.estadao.com.br/radar-economico

Postado por Jardeu Amorim

Comissão institucional dos pontos de cultura.
Foto: Yuno Silva
Não é nenhuma novidade a urgência para se elaborar um Plano Estadual de Cultura que possa incluir, de uma vez por todas, o RN no circuito do Ministério da Cultura. É notória - e histórica - a falta de políticas públicas para o segmento cultural, fato que deixa o Estado na lanterna quando o assunto é investimentos no setor, e que reflete diretamente na constante desvalorização da já combalida identidade cultural potiguar.

Um dos mecanismos criados na gestão do então ministro Gilberto Gil para minimizar essa deficiência são os Pontos de Cultura, iniciativa que vem rendendo bons resultados por todo o Brasil e já serve de exemplo mundial como forma de alavancar o desenvolvimento social, cultural e econômico.

Antes de começarem a conjugar o verbo ‘vir’ no passado, representantes dos Pontos de Cultura do RN estão se organizando para evitar o desmantelamento da rede e a conseqüente paralisação das atividades nos 79 Pontos em funcionamento.

Para traçar estratégias e realizar um diagnóstico da situação, a Comissão Institucional dos Pontos de Cultura se reuniu na manhã de ontem (21), na Casa da Ribeira, com o intuito de buscar soluções concretas para projetos como o Conexão Felipe Camarão, coordenado pela Ong Terramar, entre outros. “Nosso Estado precisa de uma política cultural democrática, é uma necessidade urgente. Temos programas em andamento que dependem de recursos para não serem prejudicados”, disse Vera Santana, produtora cultural do Conexão.

Edson Silva, coordenador do projeto Ruas da Memória (Casa da Ribeira), vai além: “Temos que pensar não só no atraso desses repasses, há todo um contexto que precisa ser considerado pelo Governo como o próprio desenvolvimento do RN”, garante.

O ator Rodrigo Bico, do Ponto de Cultura Rebuliço (Grupo de Teatro Facetas, Mutretas e Outras Histórias), nomeado como articulador dos Pontos no RN, informou que a Comissão protocolou solicitação de audiência junto a Fundação José Augusto/Secretaria Extraordinária da Cultura, encontro que deverá acontecer em março próximo. “A verba federal do MinC aguarda o pagamento da contrapartida do Estado para liberar os recursos já programados”, disse.

Os Pontos de Cultura deverão entregar à secretária Isaura Rosado um dossiê com estatísticas e resultados da atuação dos Pontos como geração de renda.

Paralelamente aos movimentos da Comissão Institucional dos Pontos de Cultura, uma visita oficial da governadora Rosalba Ciarlini e da secretária Extraordinária da Cultura, Isaura Rosado está agendada para a manhã de hoje com a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, em Brasília. Na pauta, reivindicações do RN para um amplo projeto de apoio à cultura popular e novas parcerias entre o MinC e a FJA.

Reportagem de Yuno Silva enviada à rede dos Pontos de Cultura do RN na internet por Teotônio Roque.
NOTA DO BLOG:


É notável o interesse da comissão institucional dos pontos de cultura em tentar acelerar esse processo de criação do plano estadual de cultura, pois todos que ali estão já receberam seus repasses para o segmento das atividades de seus pontos. Lembro –me bem que em 2009 componentes da Cia. Arte e Riso juntamente com o cartunista Rodrigo Fernandes e o Secretário de Cultura de Umarizal “Junio de Novinho” participaram de um fórum de cultura na cidade do Natal e que o mesmo não deu em nada. Por isso, insisto, é muito interessante que só agora todos estarem realmente querendo melhorar o estado institucional da cultura no RN, pra entrarmos no circuito do Ministério da Cultura. Pois isso pouco importa pra quem realmente faz cultura, com ou sem dinheiro estamos aí... lutando.
Postado por Jardeu Amorim

Foto: Bando La Trupe/ Natal-RN

A idéia central do Movimento Escambo é realizar seu XXX Encontro comemorativo, assim como, homenagear o mestre Dadá, fazendo entrega de 20 comendas às pessoas que contribuíram com o processo do Movimento durante sua existência.

São 20 anos de Escambo. Tudo começou em Janduís no ano de 1991 e se estendeu para o Brasil inteiro. Nossa proposta é que o encontro aconteça entre 28 de abril e 01 de maio de 2011, aproveitando também a festa dos 18 anos da Cia. Ciranduís.

Iremos receber em média 250 pessoas, onde poderão ficar alojadas nas Escolas Daniel Gurgel e Aluízio Gurgel, tendo o possível espaço da Creche para Sala de memória e refeitório. Iremos procurar casa para aluguel, onde ficarão os mestres.

É vontade do Movimento, levar espetáculo e oficinas para as cidades de Messias Targino e Campo Grande. Diante disso, estamos mantendo diálogos com a prefeita Shirley Targino e com a Prefeitura de Campo Grande.

Vários grupos, artistas e pessoas amigas, estão se mobilizando em várias cidades do Rio Grande do Norte e outros estados, no sentido de fazer em abril, um encontro com a cara do Movimento Escambo, de Janduís e dos artistas populares.

Fonte: ciranduis.blogspot.com

Postado por Jardeu Amorim

                       Foto: ciranduis.blogspot.com
Os grupos articuladores do Movimento Escambo em Janduís – Cia. Ciranduís, Brincantes do Sertão e Ginga Faceira – cumpriram agenda de encaminhamentos para Escambo dos 20 anos, realizando grande reunião, quinta-feira, 17, ás 15h, na Câmara Municipal, em Janduís.

Pelo menos 40 artistas participaram da primeira reunião que não envolveu somente os grupos de Janduís, mas os grupos Arte e Ginga e Tribo da Arte de Lucrécia, Transformação de Campo Grande, Arte e Riso, Culturarte e Capoeira Sem Nome de Umarizal e Cervantes do Brasil.


O ponto de encaminhamento foi articular uma discussão pros convidados que participaram de uma reunião de apresentação no mesmo dia às 19h, na Câmara, com possíveis parceiros. O Escambo já está na cabeça e na idéia dos membros.



Foram convidados prefeito, vereadores, vice-prefeito, secretarias, instituições, grupos, artistas e pessoas que os grupos locais entenderam que poderiam contribuir com a discussão. O plenário da Câmara ficou lotado


Foi uma reunião ampla onde expusemos nossas intenções de realizar o Escambo dos 20 anos em Janduís da seguinte forma: o que queremos e o que trazemos. Depois da discussão, como já é normal fizemos uma grande roda em frente à Câmara e recitamos poesias.

Fonte: ciranduis.blogspot.com


Postado por Jardeu Amorim
Ontem (18 de fevereiro) na cidade de Janduís durante todo o dia os integrantes do espetáculo de Junio Santos “O CASACO DE URDEMALAS” fizeram mais um encontro para ensaios e continuar com o processo de montagem do mesmo. Os ensaios se deram na sede do PT local e na casa de cultura, e a cada dia o texto toma forma, já que a idéia é fazer um ensaio geral no dia 26 de março na cidade de umarizal, e no dia 27 (dia do Teatro) a estréia na cidade de Janduís, por isso os encontros estão sendo intensificados e nos próximos dias 25 e 26/02 (sexta-feira) já estão marcados novos ensaios aqui em Umarizal para alguns detalhes de marcação de espaço e acessórios para os personagens. Provavelmente esses ensaios acontecerão na Casa de Cultura Popular, que mesmo em estado deplorável é de grande serventia para os artistas umarizalenses e será sempre ponto de apoio para nós.
Outras fotos:


Postado por Jardeu Amoirm


DEU NA REDE DO MOVIMENTOESCAMBO NA NET:


Escutei falar,que
Saiu dos artistas populares, a
Coragem, através das
Artes, a maneira de
Mostrar a elite da época, que o povo não tem nada de
Bobo, por isso, resolveram
Obstruir as

Verdades, não verdadeiras, e
Inventaram uma
Nova forma de
Trabalhar a cultura popular, que é o
ESCAMBO, se é troca eu também quero trocar.

Aconteceu tudo isso, no ano de 1991,
No sertão do Rio Grande do Norte, na cidade de JANDUIS,
Os artistas reuniram em
Solidariedade ao povo da cidade, em
Defesa da cultura popular, e na
Esperança de uma mudança

Histórica, pela
Independência cultural e
Social de um povo, através do
Teatro, espetáculos, e
Outras apresentações de cada artista, que tem a
Resistência,
Insistência e
Animação.

São 20 anos nas ruas e praças das cidades, e agora
voltando pra JANDUIS-RN, pra 30ª Edição, aonde tudo
começou, e nunca mais parou. Esta revolução de um povo
de coragem, de amor a ARTE e a EMOÇÃO, por isso
estaremos juntos e misturados, nesta cidade pioneira, no
período de 28 de abril a 01 de maio de 2011, no dia do
trabalhador, num projeto DESAFIADOR, que já dura
vinte anos, e nunca iremos parar, para não deixar
acabar a CULTURA POPULAR.

Sávio-Associação Santo Dias/Cordões do Ancurí

Postado por Jardeu Amorim
Fotoda internet
MENSAGEM DA GOVERNADORA ROSALBA CIARLINI ROSADO, LIDA NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA NA SESSÃO DE 15 DE FEVEREIRO DE 2011

CULTURA.
   "Já no campo da cultura, vamos convocar e apoiar a Conferência Estadual de Cultura, em fina sintonia com as diretrizes do Ministério da Cultura, articulando as esferas federal, estadual e municipais, com a conceituação e definição de um novo marco institucional e legal para a área.
   Estamos concluindo o projeto de criação da Escola Potiguar das Artes (Liceu de Artes e Ofícios), concedendo tratamento formal, com aprovação do Conselho Estadual de Educação, e respeitadas as normas emanadas do Ministério da Educação, para os cursos que já funcionam na Fundação José Augusto:

• Instituto de Musica Waldemar de Almeida,
• Escola de Dança do Teatro Alberto Maranhão,
• Centro Experimental de Teatro,
• Ateliê de Artes Plásticas, e
• Reinstalando a antiga Escola Candido Portinari, iniciando nas linguagens artísticas crianças de 5 a 12 anos.
   Novos cursos técnicos também estão sendo propostos:
• Desenho, sobretudo voltado para o artesanato, que precisa reencontrar seu caminho enquanto arte e economia, e
• Arte Tecnológica, que nos ajudará a ver, produzir e utilizar a arte que usa as tecnologias. Estamos falando de multimídias, interatividade, arte digital e eletrônica.
   Devolveremos à Gráfica Manimbu a condição de editora. Em principio, 40 títulos, dos quais 10 cordéis, já estão escolhidos para integrar a Coleção Cultura Potiguar em 2011.
   Este ano de 2011 marcará o retorno da Orquestra Sinfônica do Estado, cujas atividades estão suspensas há mais de um ano, e do Coral Canto do Povo, orgulho norte-rio-grandense.
   Quanto às Casas de Cultura no interior, estabeleceremos treinamentos, indicadores, agendas e avaliações, que possam medir a eficiência e o trabalho de mobilização nos 29 municípios contemplados com tais equipamentos.
   Registro, enfim, que dos 8 milhões de dividas que a Fundação Jose Augusto tem a saldar, R$. 2.314.000.000,00 são débitos com artistas, produtores, grupos de teatros, grupos de cultura popular, oficineiros, brincantes, repentistas, cantores, músicos, prêmios do patrimônio vivo, pontos de cultura e Projeto Seis e Meia. O Governo assegura aos 152 credores que honrar estes compromissos será também sua prioridade.”

Postado por Teotônio Roque na rede dos Pontos de Cultura do RN na internet.

Nota do Blog:
Tomara que Rosalba realmente cumpra com suas promessas, pois já não acreditamos mais nessas falas, isto é o que mais esperamos.

Postado por Jardeu Amorim
Foto dainternet
A cultura de teatro do Brasil ficou mais triste. Faleceu a atriz mossoroense Ludmila Albuquerque, esposa do também ator Dionísio do Apodi, ambos do grupo teatral. O Pessoal do Tarará e que participavam do Chuva de Balas no País de Mossoró. Ludmila recebeu no ano de 2008, o titulo de melhor atriz no festival do Rio de Janeiro, com a peça A Peleja do Amor no Coração de Severino de Mossoró, do grupo teatral O Pessoal do Tarará. Segundo informações Ludmila estava depressiva em face do rompimento de seu relacionamento matrimonial. A atriz pôs fim a sua própria vida no dia 15/02 terça-feira, se enforcando com uma corda. Fato se deu na sua residência no bairro Boa Vista em Mossoró. A Equipe de peritos do ITEP, foi ao local para remoção do corpo ào instituto para os procedimentos de praxe. O corpo foi sepultado ontem com muito clamor por grande parte da população mossoroense. Os artistas potiguares estão de luto por esse fato lamentável, e fazem homenagens por todos os cantos para essa grande atriz que nos deixa.

Fonte: tiocolorau.com.br

Nota do blog

É muito triste recebermos notícias assim, a arte está de luto. Uma verdadeira artista com um trabalho digno de aplausos tanto em cena quanto fora dos palcos, pois a mesma desenvolvia um trabalho social com jovens e adolescentes na cidade de Mossoró. Que os Deuses do Teatro estejam com voçê Ludmila.

Postado por Jardeu Amorim

Elenco do espetáculo
Foto: Lindemberg Bezerra
   Como postamos anteriormente, integrantes do Movimento Escambo, oriundos da Cia. Ciranduís de Janduís e da Cia. Arte e Riso de Umarizal, participaram de uma semana de vivência textual, entre 05 e 11 de fevereiro, na Praia de Barreiras em Icapuí/CE, sob orientações de Junio Santos para a montagem de um novo espetáculo de Teatro de Rua chamado "O CASACO DE URDEMALAS".
   O Casado de Urde Malas é um super clássico de Junio Santos que conta a história de personagens hilários, enfatizando o histórico Pedro Malasartes em mais uma de suas astucias pelo sertão nordestino. 
 
O elenco ficou definido assim:
 
Lindemberg Bezerra do Ciranduís de Janduís - Tiquinho;
Jardeu Amorim do Arte e Riso - Foquito;
Léo Alves do Arte Riso - Berico que é o Pedro Malasartes disfarçado;
Diego Tavares do Ciranduís de Janduís – Mateus;
Júnio Santos entra de sanfoneiro e também faz o - Berico e o Pedro Malasartes com o Léo Alves. Alternando de acordo com a quantidade de apresentações;
Emanuel Coringa do Arte e Riso ficou com os personagens - Foquito e Tiquinho, pra caso seja necessário algum dia;
Joelson de Souto participou corrigindo texto, criando músicas, ajeitando versos.

Vejamos alguns momentos dos ensaios:


"Tiquinho (Lindemberg) e Foquito (Jardeu)" passando o texto

"Mateus (Diego)" e Joelson de Souto

"Berico o sanfoneiro e Pedro Malasartes" (Junio Santos)

"Berico e Pedro Malasartes" (Léo)

Jardeu e Joelson ensaiando as músicas

   O espetáculo estréia dia 26 de março em Umarizal e em seguida segue para Janduís dia 27 de março dia do teatro. Até o final do ano o espetáculo terá agendas em quase todos estado do Brasil com prováveis passagens pela Argentina e Bolívia.

Postado por Jardeu Amorim


Foto da internet
Mais uma postagem que deu na rede do Movimento escambo na internet.
Vamos refletir sobre ele:

Autor: Antonio Barreto,
Cordelista natural de Santa Bárbara-BA,residente em Salvador.


Curtir o Pedro Bial
E sentir tanta alegria
É sinal de que você
O mau-gosto aprecia
Dá valor ao que é banal
É preguiçoso mental
E adora baixaria.
Há muito tempo não vejo
Um programa tão ‘fuleiro’
Produzido pela Globo
Visando Ibope e dinheiro
Que além de alienar
Vai por certo atrofiar
A mente do brasileiro.
Me refiro ao brasileiro
Que está em formação
E precisa evoluir
Através da Educação
Mas se torna um refém
Iletrado, ‘zé-ninguém’
Um escravo da ilusão.
Em frente à televisão
Lá está toda a família
Longe da realidade
Onde a bobagem fervilha
Não sabendo essa gente
Desprovida e inocente
Desta enorme ‘armadilha’.
Cuidado, Pedro Bial
Chega de esculhambação
Respeite o trabalhador
Dessa sofrida Nação
Deixe de chamar de heróis
Essas girls e esses boys
Que têm cara de bundão.
O seu pai e a sua mãe,
Querido Pedro Bial,
São verdadeiros heróis
E merecem nosso aval
Pois tiveram que lutar
Pra manter e te educar
Com esforço especial.
Muitos já se sentem mal
Com seu discurso vazio.
Pessoas inteligentes
Se enchem de calafrio
Porque quando você fala
A sua palavra é bala
A ferir o nosso brio.
Um país como Brasil
Carente de educação
Precisa de gente grande
Para dar boa lição
Mas você na rede Globo
Faz esse papel de bobo
Enganando a Nação.
Respeite, Pedro Bienal
Nosso povo brasileiro
Que acorda de madrugada
E trabalha o dia inteiro
Dar muito duro, anda rouco
Paga impostos, ganha pouco:
Povo HERÓI, povo guerreiro.
Enquanto a sociedade
Neste momento atual
Se preocupa com a crise
Econômica e social
Você precisa entender
Que queremos aprender
Algo sério – não banal.
Esse programa da Globo
Vem nos mostrar sem engano
Que tudo que ali ocorre
Parece um zoológico humano
Onde impera a esperteza
A malandragem, a baixeza:
Um cenário sub-humano.
A moral e a inteligência
Não são mais valorizadas.
Os “heróis” protagonizam
Um mundo de palhaçadas
Sem critério e sem ética
Em que vaidade e estética
São muito mais que louvadas.
Não se vê força poética
Nem projeto educativo.
Um mar de vulgaridade
Já tornou-se imperativo.
O que se vê realmente
É um programa deprimente
Sem nenhum objetivo.
Talvez haja objetivo
“professor”, Pedro Bial
O que vocês tão querendo
É injetar o banal
Deseducando o Brasil
Nesse Big Brother vil
De lavagem cerebral.
Isso é um desserviço
Mal exemplo à juventude
Que precisa de esperança
Educação e atitude
Porém a mediocridade
Unida à banalidade
Faz com que ninguém estude.
É grande o constrangimento
De pessoas confinadas
Num espaço luxuoso
Curtindo todas baladas:
Corpos “belos” na piscina
A gastar adrenalina:
Nesse mar de palhaçadas.
Se a intenção da Globo
É de nos “emburrecer"
Deixando o povo demente
Refém do seu poder:
Pois saiba que a exceção
(Amantes da educação)
Vai contestar a valer.
A você, Pedro Bial
Um mercador da ilusão
Junto a poderosa Globo
Que conduz nossa Nação
Eu lhe peço esse favor:
Reflita no seu labor
E escute seu coração.

E vocês caros irmãos
Que estão nessa cegueira
Não façam mais ligações
Apoiando essa besteira.
Não deem sua grana à Globo
Isso é papel de bobo:
Fujam dessa baboseira.
E quando chegar ao fim
Desse Big Brother vil
Que em nada contribui
Para o povo varonil
Ninguém vai sentir saudade:
Quem lucra é a sociedade
Do nosso querido Brasil.
E saiba, caro leitor
Que nós somos os culpados
Porque sai do nosso bolso
Esses milhões desejados
Que são ligações diárias
Bastante desnecessárias
Pra esses desocupados.
A loja do BBB
Vendendo só porcaria
Enganando muita gente
Que logo se contagia
Com tanta futilidade
Um mar de vulgaridade
Que nunca terá valia.
Chega de vulgaridade
E apelo sexual.
Não somos só futebol,
baixaria e carnaval.
Queremos Educação
E também evolução
No mundo espiritual.

Cadê a cidadania
Dos nossos educadores
Dos alunos, dos políticos
Poetas, trabalhadores?
Seremos sempre enganados
e vamos ficar calados
diante de enganadores?

Barreto termina assim
Alertando ao Bial:
Reveja logo esse equívoco
Reaja à força do mal…
Eleve o seu coração
Tomando uma decisão
Ou então: siga, animal…

FIM
Salvador, 16 de janeiro de 2010.

Postado por Jardeu Amorim


Orgulho Nordestino

Preste atenção meu povo
Que agora eu vou mostrar                        
Como o povo nordestino
É feliz nesse lugar
Aqui tem tudo de bom
Aqui se canta no tom
Sem jamais desafinar

O melhor que tem aqui
É o povo sorridente
Com qualquer pingo de chuva
Fica feliz e contente
Gosto de ser nordestino
Vivo aqui desde menino
Sou nordestino quente

Aqui nós temos de tudo
Cuscuz, cocada, paçoca
Carne-de-sol, queijo coalho,
Milho verde e mandioca.
Tem buchada, mungunzá
Baião de dois e fubá.
E também a tapioca.

Quando se fala em cultura
Temos muito pra contar
Bumba-meu-boi, pastoril
E cirandas pra cantar.
O cordel tem rima rica
Pois isso significa
A cultura popular

Também temos grandes Mestres
Luiz Gonzaga, Jorge Amado
Patativa do Assaré
Enxergava só dum lado
Tinha Antonio Conselheiro
Que trabalhou de caixeiro
Hoje é idolatrado

Aqui faz muito calor
O solo é castigado
Mesmo assim o povo aqui
É muito do arretado
Gosta de dançar forró
Isso dá um xamego só
Se dançar bem apertado

Aqui no nosso Nordeste
Tem fogueira no São João
Tem capoeira, tem frevo
Maracatu e baião
Tem a nossa fauna rica
Que hoje se identifica
Ameaçada de extinção

Esse é nosso Nordeste
Que é a terra do sagüi.
O peba e o jumento
Também vivem por aqui
Aqui vive muita gente
E todo mundo se sente
Muito orgulhoso daqui.

(Sergio Rubens)

      
      Foi preciso me afastar do arte e riso, perder um escambo, perder o festival de teatro do Recife, pra perceber que o que realmente me faz feliz é a arte, é com ela que me sinto útil pra mim mesmo, para as pessoas, para o mundo... Foi o Arte e Riso e o Escambo que me fizeram sem mais humano, percebi que o mundo a minha volta precisa de melhorias e que eu posso ajudar nisso. Por mais que eu tenha que trabalhar pra sustentar o meu corpo, eu preciso da arte, do Escambo e do Arte e Riso pra alimentar a minha alma! Só  a arte me salva do mundo, Só o Escambo me conserva diferente perante as "normalidades" do mundo, Só o Arte e Riso me ensina a lutar pela cultura, pelas pessoas e principalmente pelos meus ideais.
      Durante esse tempo que passei sem tempo, enjaulado num emprego, preso a esse sistema mediocre e falido, percebi que o mundo precisa de mim como eu realmente sou e que principalmente eu preciso do meu mundo de volta, para não me tornar apenas mais um que trabalha, estuda, mas que porém não luta, não se diverte e não é feliz! Preciso desse movimento cada vez mais forte, e principalmente o mundo precisa do movimento. Perante isso percebi, que não posso me afastar disso, pois serei sempre um escambista, disposto a lutar pelo bem do mundo, pelos direitos de todos e pelo acesso à cultura. Sou um escambista e é por ser um escambista que sou feliz, realizado, desempregado e com a consciência de que sou o velho Serginho de antes, porém mais disposto ainda á lutar!

Postado por Sergio Rubens

Foto: blog.: Visão-Visagem-Ilusão-Miragem

Sábado dia 05 de fevereiro, Junio Santos estará recebendo em sua casa na praia de Bareiras (Icapuí-CE) alguns artistas do Movimento Escambo para passar pelo menos uma semana trabalhando na montagem de mais um espetáculo com as características do Escambo e do próprio Junio Santos: coletividade e parceria. 

Estarão participando dessa vivência Lindemberg Bezerra e Diego (Cia Cultural Ciranduís de Janduís-RN), Leo Alves, Emanuel Coringa, Jardeu Amorim e Joelson de Souto (Cia Arte &Riso de Umarizal-RN). Todos buscando fazer um trabalho que certamente fará história no teatro livre de rua. De lá, a partir de sábado os artistas envolvidos no processo mandarão notícias específicas do espetáculo e da montagem. Até breve.

JOELSON DE SOUTO
MAIS UMA NOTÍCIA QUE DEU NA REDE DO MOVIMENTO ESCAMBO NA INTERNET:


 O ator e diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa, apresentando
a série "Dionisíacas" na capital paulista. -  Rodrigo Capote/ Folhapress

DE SÃO PAULO

O investimento público de R$ 627 mil para levar o diretor Zé Celso Martinez Corrêa e a série "Dionisíacas" para Fortaleza causou polêmica entre artistas do Ceará.

O dinheiro investido em quatro dias de apresentação supera os R$ 500 mil que o setor de teatro cearense recebe por ano do governo estadual via edital de incentivo, segundo a Secretaria de Cultura do Estado.


"A gente não é contra o Zé Celso aqui. Mas é uma quantia fora da nossa realidade", disse o ator Carri Costa, da Cia. Cearense de Molecagem.



Carri deu início à discussão ao se manifestar em uma carta aberta que repercutiu na internet.

Alguns artistas, como ele, não compareceram às apresentações, que ocorreram na semana passada. "Estou de luto e protestei", disse Edson Cândido, do Grupo Imagens.

O boicote não foi unanimidade entre artistas do Estado. "Fui ver o espetáculo e estava lotado. Não houve hostilidade ao grupo", disse o ator e diretor Ricardo Guilherme.

O ator e diretor Marcelo Drummond, do Oficina, também disse que o protesto não foi sentido nas peças.



"Acho que, em vez de se manifestarem contra o Oficina, eles deviam se manifestar a favor da cultura própria."



A secretaria de Cultura afirmou que R$ 200 mil usados para levar o Oficina foram investidos pela pasta e o restante foi liberado pelo Tesouro do Estado para a comemoração do centenário do Theatro José de Alencar, onde ocorreram os espetáculos.



A secretaria informou ainda que o incentivo à cultura no Estado é feito também de outras formas.



Na festa de Réveillon da cidade, um show de Caetano Veloso também causou polêmica. A prefeitura gastou R$ 714 mil, incluindo cachê, 19 apartamentos para a equipe e 20 passagens aéreas.



A apresentação, porém, foi feita no estilo "banquinho e violão", sem banda. A prefeitura alega que o dinheiro não foi gasto apenas com o cachê do artista, mas também com a logística do show.

Relato do ator de Rua e do Movimento Escambo Leandson de Fortaleza - CE

Postado por Jardeu Amorim




Foto: Cia. Ciranduís
Os grupos articuladores do Movimento Escambo em Janduís, Cia. Ciranduís, Brincantes do Sertão e Ginga Faceira de Capoeira se reuniram quarta-feira, 02 de fevereiro de 2011, às 10h, na Casa de Cultura, para discutir e deliberar ações para o Escambo em Janduís.

Na oportunidade foram repassados assuntos sobre o 29º Escambo de Guaramiranga/CE que aconteceu entre 28 e 30 de janeiro de 2011, os encaminhamentos e as discussões que foram protagonizadas em torno do Escambo dos 20 anos.

Os grupos presentes levantaram possíveis comissões, colocaram nomes e depois seguirão para articulação junto aos grupos locais que não são do Escambo e às instituições que poderão ser parceiras nessa construção.

Foi feito um relatório com as sugestões e encaminhamentos, repassado pra rede de e-mails do Escambo e depois para pessoas de grupos, secretarias e instituições de Janduís. As atividades do Escambo já estão acontecendo em Janduís e em todos os recantos do país.


 
Postado por Jardeu Amorim
Cia. recebendo o prêmio depois da apresentação
foto: umarizal em fotos

A Cia. de Dança Arte e Cultura fez hoje a doação de uma cesta básica com material de limpeza para o Hospital e Maternidade Doutor Erico Onofre. A Cia do coordenador e coreógrafo Daniel Silva ficou em primeiro lugar no "Eu sou Show" evento cultural promovido pela FM Fraternidade no último sábado e prometeu ainda no palco doar parte do prêmio de R$ 200,00 ao hospital que hoje depende bastante de doações públicas.

O grupo foi bem recebido hoje pela manhã pela secretária Vânia e fez a entrega diretamente ao administrador Dr. Guaracy que há anos atende a população de Umarizal e mantém o hospital.

Além de Daniel, estiveram presentes também Paulo Henrique (Nenem) e Twyanny Souza representando o grupo.

Fonte: uzlemfotos.blogspot.com  
Nota do blog:
 

    É nobre e honrosa a atitude da Cia. de Dança Arte e Cultura, que quase nunca tem apoio ou é remunerada por suas apresentações e no momento em que vence um concurso e consegue merecidamente ganhar uma quantia mínima de 200,00 (mínima no sentido de não dar se quer pra comprar o seu figurino, uma vez que, não é barato e não em relação à premiação da emissora que realizou por conta própria e muito bem o evento), e ainda tem a sensibilidade de ajudar com o máximo que eles podem para o bem do próximo.

    O que é lamentável e inadmissível é um hospital histórico em nosso município, como o Hospital e Maternidade Doutor Érico Onofre, onde a maioria de nossos irmão nasceram ou já se curaram por lá, e se encontrar em um estado triste como esse, de depender e necessitar de doações. Isso é vergonhoso para todos os umarizalenses!

    Será que é necessário procurarmos culpados por este caos? Ou seria melhor todos darmos as mãos e nos conscientizarmos em ajudar como fizeram nossos amigos da Cia. de Dança Arte e Cultura em prol de uma saúde melhor na nossa cidade? Ou será que esse esforço é em vão?

Comentem...

Postado por Jardeu Amorim
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...