Segundo o dicionário, hipocrisia é a “afetação de uma virtude, dum sentimento louvável que não se tem”.

A palavra é forte e é fácil imaginar que só cabe usá-la em grandes falsidades devocionais.

Mas numa observação atenta das nossas atitudes perceberemos muitas pequenas hipocrisias no nosso cotidiano.

Sim, a cada dia forçamos uma aparência de sentimentos sublimes que julgamos louváveis

É comum, por exemplo, cobrirmos de gentilezas uma pessoa que venha nos procurar num momento em que preferíamos estar sozinhos usufruir do prazer pelo contato do seu corpo. Sim, é duro admitir uma paixão desenfreada ou o desequilíbrio sexual. Fica mais bonito e louvável dizer que estamos sofrendo “de amor”, como se amar pudesse doer....

Também escolhemos o emprego com hipocrisia. BuscamosVivemos também, aceitando tarefas de pessoas que nos pedem favores, quando por dentro todo nosso ser grita “NÃO!”

Isso não é hipocrisia?

Fazemos muitas coisas pelos outros contra nossa vontade. Apenas porque julgamos que atender favores é louvável. Queremos parecer “bonzinhos” e, para isso, temos mesmo de nos esforçar pois não o somos.

De que vale alguém gostar da gente pelo que não somos?

Somos seres humanos cheios de falhas. E, ao invés de analisarmos essas falhas e evoluirmos, fingimos ser o que gostaríamos, o que imaginamos que os outros vão aprovar, enchemos nossa vida de hipocrisia.

Muitas vezes até dizemos amar uma pessoa quando o que queremos apenas é o que parecer melhor para nossa família e amigos, aquilo que pareça a maior realização ao invés daquilo que nos realiza.

Fingimos planos felizes quando nem sabemos o que queremos.

E não sabemos porque fingimos o tempo todo ser o que não somos. São tantas pequenas hipocrisias que a verdade em nós fica difícil de se ver.

É tempo de observar as próprias razões e escolher melhor as atitudes.

Ser mais verdadeiro, dizer o que se pensa e fazer o que se quer.

Quantas vezes deixamos de dizer o que pensamos, com medo de magoar alguém? Hipocrisia!! Ninguém precisa de falsas gentilezas.

E depois da hipocrisia ainda achamos que é ingratidão quando as pessoas não agradecem nem valorizam o que dissemos ou fizemos...

Em nosso interior estão as sementes das virtudes de que somos capazes, virtudes maiores do que as que desejamos aparentar. Para despertá-las só é preciso se conscientizar do que é hipocrisia em nossa vida. A consciência das nossas falhas é o início da correção para uma vida mais alegre com atitudes que nos causam satisfação.


Do blog: sabordeinformacao-sabordosaber.blogspot.com
Fonte: www.zantina.org


Postado por Jardeu Amorim

Por mais um ano o cantor Gustavo Costa leva o 1º lugar na Mais Bela Voz de Umarizal, desta vez na edição 2011 realizada no último domingo (27) durante a programação alusiva as festividades de comemoração aos 53 anos de Umarizal. O cantor interpretou o clássico Samurai de Djavan, e mais uma vez deixou os jurados de boca aberta, não dando chances aos demais, garantindo assim o índice para a grande final em Mossoró. O segundo lugar ficou com Eline Cardoso, cantora da banda Barrados no Baile e filha de Apolônio Cardoso que também já ganhou o título.

Queremos parabenizar a todos que participaram da Mais Bela Voz de Umarizal 2011, que sempre revela novos talentos na cidade.

Postado por Jardeu Amorim


Eu e meu palhaço

Eu não sei como consegue
Viver sempre com um sorriso
Como se você vivesse
Na porta do paraíso
Porque você nunca chora,
É feliz a toda hora
Sempre presente e  preciso?

Eu queria descobrir
Qual que é o seu segredo
Então por favor responda!
Você nunca sente medo?
Você leva esperança
Alegria pra criança
Faz seu nariz um brinquedo

Você tem a alma leve
Não vê o envelhecimento
Tem inocência de criança
Faz do corpo um instrumento
Pra acabar com o rancor
Pra espalhar o seu amor
Em todo e qualquer momento

Nunca vi você com dor
Nunca vi você sofrer
Você é um ser capaz
De fazer-nos esquecer
Toda desgraça do mundo
Até o ódio mais profundo
Faz é desaparecer

Eu queria ser assim
Poder viver diferente
Usar roupa engraçada
Fazer a vida mais contente
Queria poder num abraço
Mostrar ao povo que faço
Da minha vida uma vertente

Você não é um ser normal
Não engana e não mente
O seu coração não trai
Seu sorriso é fremente
Você é humano e puro
Doce, vibrante, seguro
Honesto, honrado e decente
 
Oh! Grande ser estupendo
Que é esperto e modorrento
Astuto, bobão, bonito
É cheiroso e fedorento
Você é um simples palhaço
Que tem o peito de aço
E não carrega tormento.

Foi você que me ensinou
A nunca estar tristonho
A amar a todo mundo
Tornar o outro risonho
Você me mostrou o amor
O sorriso e a flor
Alegria de um sonho

Me completo com você
E na tristeza eu pauso
Palhaço de riso solto
Satisfeito com o aplauso
Da platéia agradecida
No picadeiro da vida
Nesse nosso alegre causo

De agora em diante
Estarei sempre assim
Eu não saio de você
Pra não me perder de mim
Mascarado e composto
Nariz vermelho no rosto
Viverei até o fim.

(Sergio Rubens)

Postado por: Sergio Rubens

Foto do blog: umarizalemdia.blogspot.com

No inicio do século XIX, no povoamento de Gavião já existiam muitas casas, grandes fazendas uma abrangente atividade rural. A povoação continuou crescendo à margem do riacho Gavião, por onde passava uma estrada que servia de caminho para os comboios que saiam da Paraíba com destino a Mossoró. Em 1894, a localidade ganhou seu primeiro açude.

No ano de 1902, o arrumado que continuava em progresso já tinha cemitério e a capela do Sagrado Coração de Jesus. Por decisão da Intendência de Martins, em 1925, o nome do povoado foi mudado para Divinópolis. Em 1943, estava em fortalecimento econômico, e teve seu nome outra vez mudado, passando a se chamar Umarizal, numa referencia á grande quantidade de umarizeira existente na região, que consegue, mesmo em período de estiagem, molhar o solo debaixo de sua copa com gotejamento, sendo conhecida como a arvore que verte água.

No dia 27 de novembro de 1958, pela Lei nº 2.312, Umarizal desmembrou-se de Martins e tornou-se um novo município potiguar. Vegetação: Caatinga Hiperxerófila vegetação de caráter mais seco, com abundancia de cactáceas e plantas de porte mais baixo e espalhado. Entre outras espécies destacam-se a jurema preta, mufumbo, faveleiro, marmeleiro xique-xique e facheiro.

A Cultura em Umarizal é conhecida pela sua diversidade significante, pois é rica em cultura popular com manifestações culturais como: grupo de teatros, poetas, poetas cordelistas, repentistas, artesanato, grupos musicais, culinaristas e contadores de historias.

Do blog: uzlemfotos.blogspot.com
Postado por Jardeu Amorim
Ontem (26) O Grupo Caras Caraíbas apresentou o espetáculo “Os Bichos Tinham Razão” cordel do poeta Antônio Francisco e adaptação da Cia. Arte e Riso nas comemorações dos 53 anos de emancipação política de Umarizal. A noite foi das crianças com apresentações de danças como a dança folclórica Araruna da escola Paulo Abílio, uma apresentação de Ballet da escola Tancredo Neves, entre outras, nos fazendo acreditar que as manifestações culturais em Umarizal estão cada vez mais fortes.

Hoje (27) acontecerá A Mais Bela Voz, e como sempre uma boa oportunidade de presenciarmos grande artistas da nossa terrinha, cada um no seu estilo.


Sei que pode ser simples um blog chegar a marca de 20.000 (vinte mil) acessos, mas para nós é um fato de muito orgulho, pois só destacamos aqui Arte e Cultura, proposta diferente para nossa cidade que aos poucos vem ganhando a admiração da nossa comunidade, assim como de muitos lugares do Brasil.

Desde já agradecemos de coração os seus acessos e comentários que nos ajudam a cada dia melhorar nosso conteúdo. Mais uma vez nosso muito obrigado!!!

Esse final de semana dias 26 e 27/11 teremos mais uma etapa das oficinas do Ponto de Cultura - Umari Cultural - Um Rio de Cultura Popular em Umarizal/RN. 

Os Locais das Oficinas:

Casa de Cultura Popular vivência de Teatro de Rua com Emanuel Coringa.

Escola Estadual Zenon de Souza oficina de Literarura de Cordel com Joelson de Souto.

Escola Municipal Tancredo Neves oficina de Construção de Instrumentos com Filippo Rodrigo.

Educação e saúde caminhando juntos. A equipe de gestores da Escola Municipal Padre José Sauer apresentaram na noite de quarta - feira (23), na quadra do bairro Caraíbas os resultados do projeto "Nosso Corpo". Desde de Maio, o trabalho vinha sendo desenvolvido em sala de aula com os alunos da pré-escola ao 5º ano e também com a participação dos pais através de palestras.

O projeto ainda teve a importante parceria da Secretaria de Saúde e do PSE (Programa de Saúde na Escola). O objetivo foi "fazer com que as crianças reconhecessem a si mesmas e aos outros na busca de uma melhor qualidade de vida". Nesse processo, o projeto ainda contou com a parceria de uma equipe multidisciplinar com vários profissionais da área da saúde com Enfermeira, nutricionista, odontologista, equipe do CREAS, conselho tutelar e a participação dos grupos de teatro Arte e Riso e Caras Caraíbas.

A secretária de Educação Veralucia, a diretora do Centro de Saúde Dom Eliseu Mendes, Liane Amorim e padre João Batista estiveram presentes acompanhando as apresentações dos alunos que traziam temas como violência doméstica, alimentação, saúde bucal, Centro de Saúde D. Eliseu Mendes, entre outros.

Fonte: uzlemfotos.blogspot.com

Postado por Jardeu Amorim
Os artistas e produtores culturais Érico Azevedo da Quadrilha Junina “Quebradinha do Sertão” dos bairros Lalins e Santa Luzia, Widenny Duarte, Léo Alves e Jardeu Amorim representando Quadrilha Encanto do Nordeste, Capoeira Nacional, Cia. Arte e Riso e Ponto de Cultura – Umari Cultural, foram ontem (23/11), até a cidade de Pau Dos Ferros, Região do Alto do Oeste para participar da última etapa das oficinas de elaboração de projetos oferecidas pelo Banco do Nordeste no Rio Grande do Norte.  

O Banco do Nordeste realizou oficinas de elaboração de projetos culturais por todas as regiões do estado com o objetivo de oferecer maiores oportunidades de acesso aos recursos do Programa Banco do Nordeste de Cultura/Parceria BNDES – Edição 2012. Nas oficinas foram apresentados detalhes do Programa e instruções sobre o preenchimento de formulário de inscrição. As participações nas oficinas foram gratuitas, sem inscrição prévia.

O Programa Banco do Nordeste de Cultura 2012 Parceria BNDES estará disponibilizando R$ 8 milhões para a Cultura Nordestina nas áreas das Artes Cênicas, Artes Integradas, Artes Visuais, Audiovisual, Dança, Literatura, Música e Patrimônio. As inscrições de projetos podem ser efetuadas até o dia 16 de dezembro de 2011, o resultado sairá em 31 de maio de 2012.

Edital e Formulários no site: www.bnb.gov.br/cultura

Nota do blog:

Só foi possível participarmos dessa capacitação/oficina pela ajuda da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Desporto, e principalmente pela colaboração da sempre incansável “Dona Aurélia Alencar” que há muito tempo vem lutando para manter a Quadrilha Encanto do Nordeste em atividade pela região com o mínimo de apoio do poder público. Pois ela cedeu o transporte e a alimentação de todos de Umarizal no evento. Por isso, iremos fazer o máximo pra trazer recursos para a cultura umarizalense, seja na dança, teatro, capoeira, música e/ou literatura.


Postado por Jardeu Amorim
Agora o cordel de Jatão Vaqueiro
Jatão Vaqueiro
GRANDE POETA JOELSON
GOSTEI DO SEU VERSAR
NESSA BONITA POESIA
DAQUI DO NOSSO LUGAR
É COM GRANDE EMOÇÃO
QUE VEJO NOSSA GAVIÃO
DIA 27 ANIVERSARIAR

TERRA DE POVO BOM
HUMILDE MAIS VALENTE
BRIGANDO PELA VIDA
NA SOMBRA OU SOL QUENTE
ACORDANDO DE MADRUGADA
MESMO NA INVERNADA
ESSA É NOSSA GENTE

DESDE A SUA FUNDAÇÃO
QUANDO FOI DETERMINADA
UMARIZAL SEMPRE FOI
POR GENTE BOA POVOADA
HOJE NÃO É DIFERENTE
MORANDO AQUI É CONTENTE
COMO NA ÉPOCA PASSADA

AINDA TEM A FEIRA LIVRE
QUE VENDE BURUNDANGA
DESDE O TOCIM DE PORCO
ATÉ O CAÇOAR DE MANGA
A GALINHA DO CHIQUEIRO
BODE COM SEU BERREIRO
PRA MULHER CORPETE E TANGA

SE VENDE AINDA NA FEIRA
MEL DE ENGENHO E RAPADURA
FARINHA DE MANDIOCA
RABADA DE BOI OU FUSSURA
BAINHA DE BOTAR EM FACÃO
PAU DE CARREGAR O GALÃO
E COROA PARA SEPULTURA

O CABOCLO TOMA PINGA
E TIRA GOSTO COM LIMÃO
NAS BANCAS DA FEIRA
AINDA É TRADIÇÃO
COM TRIPA BEM ASSADA
CARNE DE SOL TORRADA
E CALDO DE CHAMBÃO

A AGRICULTURA É FORTE
EM TODA NOSSA REGIÃO
AQUI SE PLANTANDO DAR
MILHO, ARROZ E FEIJÃO
BATATA DOCE E JERIMUM
MANDIOCA, MELÃO E URUCUM
E CAPOEIRA DE ALGODÃO

TEM PALHAÇOS E MÚSICOS
REPENTISTAS CANTADORES
CORDELISTAS DO PAPEL
MALABARISTAS E ATORES
ABOIADOR NORDESTINO
COMPADRE ZÉ DE CRISTINO
TODOS TEM SEUS VALORES

AGRADEÇO AO DIVINO PAI
POR MIM DAR ESSA MORADA
NESSA TERRA UMARIZAL
POR TODOS TÃO AMADA
E CONTINUO DIZENDO
SÓ SAIU DAQUI MORRENDO
POIS É NOSSA ÚLTIMA JORNADA.

TEXTO: JATÃO VAQUEIRO

Com a iminência das festividades do aniversário da cidade, mais uma das tantas homenagens que o Arte e Riso já prestou a esta terra. 


Todo quadro é bonito
Quando é bom o pintor
Toda novela é bonita
Quando é bom o ator
Todo amor é bonito
Quando é puro o amor

Para cantar um louvor
Pra essa cidade querida
Eu busco inspiração
Na rua, na avenida
Nas pedras de calçamento
Ou numa planta florida

Minha vida foi vivida
Nesse pequeno torrão
Amado por todos nós
Guardado no coração
Hoje é meu Umarizal
Mas já foi meu Gavião

Por falar em gavião
Que é animal seleto
Hoje em frente ao Zenon
E ao 11, meu predileto
Tem o gavião do Escambo
De cimento e de concreto

O meu verso sai bem reto
Pois eu tenho amor no peito
E o povo da cidade
É povo bom e direito
Se digo que sou daqui
Sou tratado com respeito

O Umari corre no leito
Umarizeira tem o viço
Esse lugar tão querido
Tem encanto e é por isso
Que eu adoro Umarizal
Essa terra tem feitiço

E eu não digo só isso
Falo também da paixão
Do calor da minha terra
Do inverno e do verão
Do banho frio da chuva
Da água do cacimbão

Me respeite, meu irmão
Que não sou qualquer sujeito
Eu sou de Umarizal
Esse nome tem efeito
Se não tiver tudo certo
Um dia ainda tem jeito

Mas aqui não é perfeito
Ainda tem que melhorar
Quem tiver achando ruim
Que cuide em ajudar
Ou faça a mala e se mude
E vá morar noutro lugar

Nem quero me imaginar
Morando na capital
Eu quero a vida pacata
Da nossa terra natal
Não venha dizer que não
Mas amo de coração
Minha querida Umarizal.

Este pequeno poema faz parte do livro Verso pra Todo Canto de Joelson de Souto, que em breve sairá da gráfica para as ruas do mundo. "Um livro de poesia na gaveta não adianta nada. Lugar de poesia é na calçada." S. Sampaio

A Fundação Nacional de Artes – Funarte publicou no Diário Oficial da União (DOU, o resultado dos selecionados no Edital Funarte Artes Cênicas na Rua (circo, dança, teatro) 2011, terça-feira passada, 15/11/2011. E o projeto coletivo escrito pelo Instituto Arte Manha de São Paulo, foi aprovado no Módulo C, no valor de R$ 50.000,00 (Cinqüenta Mil Reais).

O projeto “Expedição: dos sertões às quebradas escambiando pelos esses brasis”, envolve a além do Arte Manha, a Cia. Ciranduís de Janduís, Cia. Arte e Riso de Umarizal, Cervanvantes do Brasil de Icapuí – CE e o Bando La Trupe de Natal. As ações começam já no mês de janeiro de 2012.

Confira resultado geral:

Do blog: ciranduis.blogspot.com

Postado por Jardeu Amorim
Imagem da Internet
O artista que passa o tempo recluso na solidão do ateliê, trabalhando, desenvolvendo sua experiência estética, como um operário da linguageme do pensamento, está em extinção. É coisa de museu. Ou melhor, é raridade nos museus de arte, que estão deixando de ser instituições de referência da memória para servir de cenários para legitimação do espetáculo. Às vezes, com míseros recursos que ficamos até sem saber direito: quando nos deparamos com baldes e bacias nessas instituições, se são para amparar a goteira do telhado ou se se trata de uma instalação, contemplada por um edital para aquisição de obras contemporâneas...

O que interessa na politica cultural nem sempre é a arte e a cultura, e, sim, o glamour. Em nome da arte contemporânea, faz-se qualquer coisa que dê "visibilidade".

As políticas públicas foram relegadas às leis de incentivo à cultura e aos editais públicos. Nunca se fez tantos editais neste País, como atualmente, para, no fim das contas, fazer da arte um "suplemento cultural", o bolo da noiva na festa de casamento.

Na fala do filósofo alemão Theodor Adorno: "As obras de arte que se apresentam sem resíduo à reflexão e ao pensamento não são obras de arte". Do ponto de vista da reflexão, do pensamento e do conhecimento, a cultura não é prioridade. Na política dos museus, o objeto já não é mais o museu que se multiplicou, juntamente com os chamados "centros culturais", nos últimos anos.

Com vaidade de supermercado, na maioria das vezes, eles disponibilizam produtos perecíveis, novidades com prazo de validade, para estimular o consumo, vetor de aquecimento da economia. A qualificação ficou no papel, na publicidade do concurso.

Esses editais que bancam a cultura são iniciativas que vêm ganhando força. Mostram ser um processo de seleção com regras claras para administrar o repasse de recursos, muito bem vendidos na mídia, como métodos de democratizar o "acesso" e a "distribuição de verbas" para as práticas culturais.

Mas nem são tão democráticos assim. Podem ser um instrumento possível e eficiente em certos casos, mas não são a solução, é possível funcionarem, também, como escudo, para dissimular responsabilidades pela produção, preservação e segurança do patrimônio cultural.

Considerando-se, ainda, a contratação de "consultorias", funcionários, despesas de divulgação, inscrição... o trabalho árduo e apressado de seleção... é tudo, enfim, um custo considerável, que, em último caso, gera "serviços" e renda.

O artista contemporâneo deixa de ser artista para ser proponente, empresário cultural, "captador" de recursos, um especialista na área de elaboração de projetos, com conhecimentos indispensáveis de "processo público" e interpretação de leis. Dedica grande parte de seu tempo a esse negócio burocrático, que é a elaboração e execução de projetos, prestações de contas etc., todos contaminado pela lógica do marketing... coisas incompatíveis com o artista em si, que apostou na arte como uma "opção de vida" e com forma de conhecimento, algo que exige dedicação exclusiva... Ou, pior ainda: o artista fica à mercê de uma "produtora cultural", para quem essa política de editais e fomento à cultura é, aliás, um excelente negócio...

Mais uma coisa é preocupante: e se essa política de editais se estender até a sucateada área da saúde, por exemplo? Imaginem uma "seleção pública" para pacientes do Sistema Único de Saúde, que necessitem de procedimentos médicos... Os que não forem "democraticamente contemplados", teriam de apelar para a providência divina, já engarrafada com a demanda de tantos pedidos...

Nem é bom imaginar. Que esta praga fique restrita aos limites da esfera cultural... Na pior das hipóteses, é uma "torneira" que sempre se abre para atender parte de uma superpopulação de artistas, proponentes, pedintes...

O artista, cada vez mais, é um técnico passivo com direito a diploma de "bem comportado" em "preenchimento de formulário". E seu produto ficou relegado ao controle dos burocratas do Estado, e à "boa vontade" dos executivos de marketing das grandes empresas...

Se o projeto é bem apresentado, com boa "justificativa" de gastos e retornos, o produto a ser patrocinado ou financiado... se é mediano, se é excepcional, não importa! O que importa é a "formatação", a "objetividade" do orçamento, a clareza das "etapas" e a "visibilidade", o "produto final"...

Como sempre, existem as chamadas exceções, mas...

Almandrade
(artista plástico, poeta e arquiteto)"

Postado por Jardeu Amorim

Johnson Soares e o Rei do Maracatu
Loa de Entrada do Maracatu Nação Pirambu

De: Johnson Soarez e João Piarambu

Onde o maracatu
Guarda o meu coração?
No olhar do meu amor
No couro do tambor
Couro cru
Quem és tu?

Eu vou mostrar que sou
Sou Nação Pirambu
Eu sou a negra cor
Negro maracatu
Negro eu
Negro tu

Traz as miçangas e os ouros
Bota o turbante e o colar
Que é realeza e chegou
Chegou para brincar
Maracatu...

Mostra teu rosto pintado
Traz o negrume da cor
No passo cadenciado
Dança do teu esplendor
Maracatu...

Nós viemos lembrar as histórias
Dos tempos do reino e da glória
Reis e rainhas do maracatu
Nós viemos trazer a memoria
Reis do Congo resgate da história
De uma África viva dentro do Brasil

Postado por Jardeu Amorim
Artistas da região oeste do Rio Grande do Norte com grupos das cidades de Janduís, Campo Grande, Messias Targino, Lucrécia e Umarizal participaram do 32º escambo e 9º festival de Teatro de Rua do Recife- PE nos dias de 10 a 15 de novembro. E os grupos de Umarizal Cia. Arte e Riso e Culturarte estiveram presentes na programação, participando dos cortejos, debates, escambando com outros artistas, aprendendo e doando saberes culturais, e apresentando seus palhaços além do espetáculo “O Machismo Só Dá Nisso”.

Fotos de Adson Oliver – Grupo Culturarte

Rose e Widenny "O Machismo Só dá Nisso"

Apresentação na Praça do Carmo, centro de Recife

Adson Óliver - Culturarte

"O Fuxiqueiro" Cia. Ciranduís - Janduís

Atores pernambucanos


Adoson e Eduarda - atriz/palhaça de Lucrécia 

"O Drama de Orfeu" Circo Capixaba - ES

Cortejo pelas ruas do bairro Alto José do Pinho

Grupo Drão de Teatro de Recife

Na Praça do Carmo - centro

Nota do Blog:

Queríamos agradecer primeiramente a Cia. Ciranduís de Janduís pelo incansável empenho em sempre buscar resolver algumas questões relacionadas a melhorias para viagens da região oeste potiguar para encontros e eventos. Nesse caso, conseguiu junto a Prefeitura Municipal de Janduís mais uma vez o transporte para deslocar todos os artistas da região para participarem do Escambo e do Festival na cidade de Recife-PE.

Em segundo lugar a todo o Movimento Escambo e ao Movimento de Teatro Popular de Recife por mais uma vez enfrentar uma maratona dessas que é realizar dois eventos ao mesmo tempo, e principalmente com as dificuldades financeiras a qual todos os grupos de teatro de rua desse país passam. Por isso, o teatro de rua está de parabéns e desse modo sendo sempre solidários uns com os outros como fizeram os artistas do Pernambuco seremos fortes independentes de recursos oriundos do governo.

É a Arte construindo e fortalecendo a Arte!

Postado por Jardeu Amorim
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...