mais poesia para adocicar o azedume no peito da humanidade

Poeminha antigo, mas que gosto muito de recitar em rodas de cenopoesia. Gera um efeito legal: a procura do nome...espero que gostem. comentem!

Eu procuro uma palavra
Que passe por esta porta
Que passe de frente
Que passe de lado
Ou mesmo que passe torta
Eu procuro uma palavra
Que preencha esse espaço
Que caiba aqui direitinho
Que seja forte como o aço
E bela como o algodão

Eu procuro uma palavra
Que não seja a palavra sim
Que não seja a palavra não
Há não-ser em tudo isso
E é por isso
que eu procuro essa palavra
Para que ela comece a ser
O sentido dessa minha vida

Mas se essa palavra fosse o seu nome,
minha querida
Ah! Aí estaria tudo certo
Sendo Certo com C
Ou sendo Certo com S
Mas não sendo tão certo como parece
A minha vida amanheceria
Enquanto o dia anoitece
Se por uma revelação, minha querida
O teu nome eu soubesse.

(JOELSON DE SOUTO)

1 comentários:

  • Anônimo | 23 de setembro de 2009 15:41

    Grande Joelson, você como sempre muito criativo. Saibas que tens um fã aqui do outro lado. Parabéns Brother! Maninho. www.maninhodesenhos.blogspot.com

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...