Alunos da cidade de Extremoz/RN comentam sobre o espetáculo “Meu nome é Zé” - Sensacional!


A professora de Português Wendy Freitas realizou um trabalho de interpretação e produção de textos livres com alunos dos Ensinos Fundamental e Médio da Escola Estadual Almirante Tamandaré da cidade de Extremoz/RN, sobre o espetáculo da Cia. Arte e Riso “Meu Nome é Zé”.

Na ocasião Wendy Freitas levou seus alunos para assistirem a apresentação da Cia. Arte e Riso durante a 2ª temporada na Casa da Ribeira no mês de novembro de 2015 em Natal e partiu para a prática, onde obteve belos resultados.


Confira algumas produções dos alunos:



 Zé - Casa da Ribeira, Natal 2015



“Me perguntaram em quem votei
Com orgulho de Zé falei
Surpreso ninguém ficou, pois eu já dizia
Que nele eu votaria,
Ele falava com sinceridade e honestidade
Que ia fazer tudo para melhorar a cidade,
Mas sem merecer morreu
E outra vez a corrupção venceu.”

(Claudyeline Miranda de Souza, 9ºC, Vespertino)











Espetáculo Meu Nome é Zé - Macau/RN, 2015 - Foto: Nazareno Félix
“Bem, a peça “MEU NOME É ZÉ” é uma apresentação de como anda a politica hoje em dia, ela aborda assuntos polêmicos usando o humor como ferramenta. A peça trata da luta de um politico honesto, trabalhador, pobre mas com muita garra e determinação para mudar o rumo da sua cidade, contra um politico corrupto que nasceu em berço de ouro, rico que não tinha nenhuma vontade de levar alguma melhoria para tal cidade, ao contrario queria calar a voz daqueles que queriam uma mudança. A peça se passa em um cenário de pobreza e escassez. Na peça é falado que todos nos somos um Zé. Um Zé trabalhador. Um Zé que luta pelos seus direitos. Por isso eu voto no Zé pois o Zé é o povo de verdade.”

(Rubens S. G. Filho, 9ºC, Vespertino)



Momento do Coro Meu Nome é Zé - Currais Novos/RN, 215
“O Zé representa o trabalhador, que todo dia acorda cedo e pegar ônibus lotado, e sente falta de consideração do governo com o cidadão. Dei meu voto de confiança pra ele, mesmo com aquele velho medo que após a eleição o Zé sumir do mapa e não cumprir suas promessas de campanha. Porém o Zé demonstrou ser honesto. Já o Severino de Memeu, não demonstrou ser um candidato de confiança, e sim um verdadeiro corruPTo. Também votei no Zé porque não queria desperdiçar o meu voto votando nulo.”

(Felipe Wendel dos Santos, 2ª série, Ensino Médio, Vespertino)





 Severino de Meneu - Casa da Ribeira, Natal 2015
“Meu voto vai para Severino de Memeu porque ele prometeu fazer uma ponte de Natal até os Estados Unidos, e também porque ele prometeu aprovar a lei “7 a 1” que é contratar 7 seguranças da Alemanha para cada cidadão de Natal, e ele se encaixa perfeito como o candidato corrupto de todas as eleições que promete mas só quer roubar o dinheiro do povo enquanto Zé é o candidato certinho que faz as promessas que o povo precisa, porém como eu curti o estilo de /Severino de Memeu, que é o malandro dos candidatos, pois ele é o candidato perfeito para roubar a todos.”

(Wallyson Dantas, 2ª série, Ensino Médio, Vespertino)








Momento da votação - Meu Nome é Zé - Casa da Ribeira, Natal 2015
“É uma escolha difícil, pois com o conteúdo que nos foi passado e com a nossa carga de conhecimento pessoal, é da natureza política usar as palavras como um atrativo a fim de ganhar votos. Severino de Memeu, apesar de possuir uma boa aparência e possuir uma boa comunicação, intimida os eleitores implicitamente e possui uma aura de coronel que ganha por votos de cabresto. Já o Zé é gordo e baixinho, porém sua conversa consegue convencer mais pessoas, pois Zé tem a voz do povo e se coloca muito no lugar dos eleitos, prometendo coisas que são até impossíveis. Mas de acordo com a sabedoria popular, nesse mato tem cachorro. Sem uma análise da ficha dos candidatos e ante as circunstâncias meu voto teria grande probabilidade de ser nulo. Com uma peça que marcou nossas vidas, a Cia. Arte e Riso mostrou que a cegueira política é uma doença e o poder da nossa voz nessa sociedade que hoje se acomoda em uma poltrona esperando que as coisas caiam do céu. A apuração dos votos foi interrompida por tiros e logo a notícia de que Zé veio a falecer se espalhou, logo pensamos que isso não poderia ser obra de mais ninguém além de Severino de Memeu. Claro! Sem concorrentes seria óbvio que ele assumiria. A partir daqui começo a pensar: “Se sei que o Zé morre de qualquer forma, não faria sentido eu desperdiçar meu voto confiando-o a alguém que não usufruiria dele, mas... Como votarei em um homem que eu sei que não fará boas coisas para a cidade?”.  Essa questão me assombraria se eu não tivesse a minha ética e a minha moral. Por isso, mesmo sabendo que não adiantaria de nada, eu escolho Zé como representante, pois percebe-se que ele poderia sim ter exagerado em suas promessas mas de forma justa, racional e democrática, enxergaríamos o que poderia ser feito e trabalharíamos como um conjunto para melhorar a nossa comunidade. Em relação ao Severino de Memeu ter se eleito de forma injusta, trabalharíamos também em conjunto para o mesmo propósito, iriamos pegar no pé desse político até ele se tornar bom para com o povo e se não adiantasse ele não aguentaria a pressão da “voz de Deus” e sairia dali morrendo de medo. Uma hora ou outra sua consciência iria pesar.”

(Luan C. Redmann,  2ª série, Ensino Médio, Vespertino)



Bêbado - Meu Nome é Zé - Casa da Ribeira, Natal 2015

“Em um país de terceiro mundo, onde o desejo de um povo parece nunca ser atendido surge... Zé! Eu acredito que todos nós somos um Zé, a esperança de um país mais igual, mais honesto e educado, porém, assim como ele, parecemos sempre ser calados por um governo falho, corrupto e desonesto. Zé foi o nosso querer, o nosso desejar... mas que os sonhos parecem sempre se calar...”

(João Rhendsonn Cruz, 3ª série, Ensino Médio, Vespertino)












Momento do debate político - Casa da Ribeira, Natal/RN 2015
“Votei nulo, pois nenhum dos dois candidatos me convenceu. Enquanto um fazia questão de mostrar que era desonesto e de fazer promessas mirabolantes e sem fundamento, o outro usava palavras bonitas, e fazia promessas que já estamos cansados de ouvir, com a intenção de convencer os eleitores, o que soa muito clichê na política atual. Estamos cansados de ver políticos prometendo mudanças e no fim das contas não cumprir com o que diz.”

(Mateus Rodrigues, 3ª série, Ensino Médio, Vespertino)




Momento de interação com o público - Casa da Ribeira, Natal/RN 2015
“Nesta eleição voto nulo. Não me senti representado por nenhum dos candidatos apresentados e muito menos por suas propostas politicas para com nós cidadãos. Aliás, o que vejo são dois cabras safados querendo ludibriar nosso povo.”

(Willian Karlos Rocha, 3ª série, Ensino Médio, Vespertino)

1 comentários:

  • Anônimo | 6 de janeiro de 2016 10:47

    Um orgulho saber que pessoas tão novas já ver uma visão como esperava transmitir o espetáculo, e que bom que está desenvolvendo na mente das pessoas essas reflexões, essa crítica em relação a sociedade. Criticas essa que envolve uns dos temas mais falados e polêmicos na sociedade nos dias de hoje que é a "Politica".

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...