Artistas questionam política cultural

Ato público Cultura Não É Vento. Natal, em frente à FJA
Por Yuno Silva
A Rede Potiguar de Teatro realizou na última terça-feira, em vários pontos da cidade, o ato público "Cultura Não É Vento", onde questiona o formato das políticas públicas para o segmento cultural adotadas pelo Governo do Estado e pela Prefeitura de Natal. Munidos de ventiladores e faixas, atores e atrizes, devidamente caracterizados com nariz de palhaço e maquiagem, distribuíram panfletos e realizaram performance emulando a resistência contra um vendaval na calçada da Fundação José Augusto, no Tirol.

O grupo ainda protestou em frente ao Teatro Municipal Sandoval Wanderley, no Alecrim; Teatro Alberto Maranhão, Ribeira; e no Centro Experimental de Teatro, na Hermes da Fonseca; fechando a programação do ato "Cultura Não É Vento" com cortejo na Cidade Alta. "Esta é a forma que nós do teatro encontramos para dar um basta ao tipo de política cultural que vem sendo feita", disse a atriz Ivonete Albano. Ela enumerou uma série de motivos para justificar o protesto: "Esses editais lançados pela FJA/SecultRN, por exemplo, foram elaborados sem a participação dos artistas e não atendem às reais necessidades das categorias de teatro, de dança e de música, entre outras".

Outra crítica elencada pelos atores aponta para o fato dos recursos (R$ 800 mil) para a reforma do Teatro Sandoval Wanderley, principal espaço cultural do bairro do Alecrim fechado desde 2009 por problemas estruturais, estarem disponíveis desde novembro do ano passado, "mas correndo o risco de serem devolvidos ao Ministério da Cultura por falta de documentação e um projeto executivo. Sem falar na falta de respeito da Prefeitura ao não garantir verbas para o Fundo Municipal de Cultura - FIC de 2011, um direito adquirido através de edital público e previsto em lei", complementou Ivonete.

A Rede Potiguar de Teatro ainda encaminhou uma carta à governadora Rosalba Ciarlini, solicitando uma atitude diante da situação.

Publicação em 06 de junho de 2012
Por Yuno Silva em,
http://www.tribunadonoerte.com.br/
Via. Ciranduis.blogspot.com
Por Jardeu Amorim

2 comentários:

  • Arlindo | 9 de junho de 2012 14:33

    Galera, estive presente na ação, e foi muito significativo a voz da classe artística. O Governo atual do RN, quer transformar nossa cultura, em um circuito de eventos por todo o estado, utilizando dinheiro público para promover grandes festas, sem preocupação nenhuma com a arte e com os artistas. Não podemos nos contentar com as migalhas que são oferecidas nos editais públicos do Estado do RN. Os valores destinados são inviáveis de execução. Vamos ficar alerta e nos posicionarmos perante uma gestão de éventos. CULTURANÃOÉVENTO!

  • Cia. Arte e Riso Fazemos Arte, Fazemos Vida! | 10 de junho de 2012 09:40

    Isso mesmo grande Arlindo, temos que combater mesmo essa turma que está destruindo nosso estado, esse governo entrará para história como o pior de todos os tempos. Em relação as migalhas emprestadas, a cada dia as datas de editais são mudadas, ou prorrogadas, datas para divulgações de resultados não são respeitadas, ninguém sabe de nada em relações a prêmios ou projetos enviados, a burocracia é gigantesca por uma merreca (querem que fazemos muitas coisas com pouca grana), em fim, o que deve ser feito é uma grande assembléia com todos da arte no estado e um debate com a classe artística para fixarmos leis que sejam realmente do interesse para a arte potiguar. Absurdo é elaborar edital sem saber da necessidade do ARTISTA!!!!!

    Jardeu Amorim

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...